12ª FeliS apresenta sete edições do projeto Literatura Mútua no Espaço da Juventude

16/11/2018

O projeto Literatura Mútua promove, pelo terceiro ano consecutivo na Feira do Livro de São Luís - FeliS, sete rodas de conversa com autores nacionais e locais mediadas pela jornalista e escritora Talita Guimarães entre os dias 18 e 25 de novembro no Espaço da Juventude, instalado no Multicenter Sebrae. Participarão das edições especiais do projeto literário dentro da programação da FeliS os escritores Lindevania Martins (18/11), Milena Carvalho (19/11), Felipe Correa (20/11), Mário Rodrigues (21/11), Isis Rost (23/11), Clarissa Carramilo (24/11) e Elizeu Cardoso (25/11). Todos os encontros serão às 16h.

“É sempre uma grande alegria participar da Feira do Livro de São Luís, sobretudo em um espaço já consagrado de conversas com jovens leitores sobre experiências de leitura e escrita de autores contemporâneos. Vamos festejar o que há de melhor no panorama literário local e nacional. E como sempre desfrutar da rica possibilidade de escuta e partilha que estar na presença de grandes escritores proporciona.”, destaca a jornalista Talita Guimarães, idealizadora do projeto que após dois anos em circuito por São Luís foi encerrado em dezembro de 2017 e retorna agora exclusivamente para a FeliS.

As rodas de conversa do Literatura Mútua priorizam experiências de leitura e escrita de autores que são convidados a relatar como a leitura atravessa suas percepções humanas e influenciam em seus trabalhos. Durante a conversa, o público pode interagir com os autores e no final participar de sessões de autógrafos e lançamentos.

Para o escritor Elizeu Cardoso público e autor se encontram de forma mais íntima, em palavras e vida na Feira do Livro de São Luís. “É sempre um prazer participar do Literatura Mútua, projeto que considero um dos mais significativos para a literatura produzida no Maranhão. Talita Guimarães tem-se mostrado, além de grande escritora, uma competentíssima jornalista e mediadora em todas as edições.”, declara.

LITERATURA MÚTUA - Projeto literário sem fins lucrativos idealizado pela escritora e jornalista Talita Guimarães que visa reunir escritores contemporâneos, publicados ou não, em rodas de conversa sobre experiências de leitura e escrita. Entre agosto de 2016 e dezembro de 2017, o projeto realizou 44 edições com 26 escritores em rodas de conversa mensais distribuídas por 05 espaços parceiros em São Luís-MA (Galeria Trapiche, Feira do Livro de São Luís, Biblioteca Municipal do Bairro de Fátima, Centro de Ensino São Cristóvão e Livraria e Espaço Cultural AMEI). Em duas temporadas, passaram pelo projeto os escritores Felipe Castro (MA), Sabryna Mendes (MA), Jônatas (MA), Júlia Emília (MA), Thalita Rebouças (RJ), Ferréz (SP), Duda Veloso (MA), Igor Nascimento (MA), Gustavo Lacombe (RJ), Zema Ribeiro (MA), Manu Marques Barbosa (MA), Laísa Couto (MA), Elizeu Cardoso (MA), Aurora da Graça (MA), Dyl Pires (MA), Beto Scanssette (DF), Thayná Rosa (MA), Jaqueline Morais (MA), Déa Alhadeff (MA), Lúcia Santos (MA), Fernando Abreu (MA), Jorgeana Braga (MA), Frederick Brandão (MA), Sharlene Serra (MA), Rose Panet (PB) e Júnior Lobo (MA).

TALITA GUIMARÃES – Natural de São Luís-MA (1989), é jornalista, escritora e graduanda na Licenciatura em Letras/Português (UFMA). Autora de Recorte! (2015) e Vila Tulipa (2007), premiado no XXX Concurso Literário e Artístico Cidade de São Luís em 2006. Integra ainda a coletânea São Luís em Palavras (2017). Nos anos de 2016 e 2017 escreveu e ilustrou crônicas para a coluna Recorte! publicada semanalmente no site Armazém de Cultura. No âmbito do incentivo à leitura e difusão literária, idealizou e mediou a circulação literária por galerias, escolas, bibliotecas e livrarias do projeto Literatura Mútua em São Luís. No meio audiovisual assinou a produção do curta-metragem Carta Vermelha (MA, 2016, 7'), dos diretores maranhenses Josh Baconi e Nat Maciel e a assistência de direção da série para TV Pública O dia em que nos tornamos terroristas, dirigida pelo cineasta gaúcho radicado no Maranhão Lucian Rosa. Em 2017, em parceria com o Grupo TeatroDança, escreveu texto para a performance Menestréis que apresenta a trajetória de 32 anos do grupo fundado pela dramaturga maranhense Júlia Emília.

AUTORES CONVIDADOS PARA O LITERATURA MÚTUA NA 12ª FELIS:

LINDEVANIA MARTINS - Graduada em Direito com Mestrado em Cultura e Sociedade (Universidade Federal do Maranhão). Delegada de Polícia entre os anos de 1998 e 2001, atualmente é defensora pública atuando no Núcleo Especializado de Defesa da Mulher e População LGBT, no Maranhão. Primeiro lugar no Concurso Literário Cidade de São Luís, categoria contos, nos anos de 2003 e 2005. Menção honrosa em Concurso nacional de Contos da OAB Nacional (2006). Selecionada para publicação em Concurso de Originais da Editora Benfazeja (2017). Finalista no 1o. Concurso Nacional de Contos Ciclo Contínuo (2017). Possui contos e poemas publicados na Antologia Eros (2001), Antologia Contos de Advogados (2006), Revista Benfazeja (2017), I Antologia Internacional Mulherio das Letras – Mulheres pela Paz (2018), Revista Marinatambalo-Crítica e Literatura (2018), Antologia Conexões Atlânticas (2018), Antologia de Contos Ciclo Contínuo (2018), Antologia do Desejo – Literatura que Desejamos (2018) e Revista Gueto (2018). Jurada em concurso internacional de contos “Her Story”, da Plataforma Sweek em conjunto com o Leia Mulheres (2018). Mediadora do Leia Mulheres em São Luís do Maranhão. Integrante do movimento nacional Mulherio das Letras. Autora dos livros de contos “Anônimos” (Prefeitura de São Luís, 2003), “Zona de Desconforto” (Editora Benfazeja, 2018) e “A Outra” (inédito, com publicação prevista em 2019).

MILENA CARVALHO - Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual do Maranhão, e em cinema pela Escuela Profesional de Cine y Artes Audiovisuales de Eliseo Subiela, em Buenos Aires. Ainda na Argentina, escreveu o longa-metragem A Estrada, uma homenagem à Cururupu - Maranhão, onde viveu parte de sua infância. De volta ao Brasil, entrou para a ONG Grupo Pensar Cultural e passou a dar aulas de cinema no Complexo do Alemão, na cidade do Rio de Janeiro. Com outros seis autores montou o coletivo Visceralistas, plataforma online em que publicam textos regularmente. Seu primeiro conto, Gado Marcado, foi publicado na antologia Haja-nos, pontapé inicial para a escrita do livro Quem é essa mulher?.

FELIPE CORREA - Escritor e ator de São Luís-MA. No teatro atuou em peças importantes como “O Mulato” de Aluísio Azevedo, “Post Mortem”, de sua autoria e direção de Ivy Faladeli e “As Dez Coisas que meu Pai Deveria Ter Ouvido Antes de Ter Ido para a Guerra” texto e direção de Ivy Faladeli, todos pela Companhia Drao, Teatro da (In) constância. Em 2014, foi premiado no 35° Concurso Literário Cidade de São Luís na categoria Peça Teatral com a obra “Post Mortem” e na edição seguinte do mesmo certame (2015) foi agraciado com o primeiro lugar nas categorias Peça Teatral com “Soleil Levant” e Novela com “Pó”. Em 2017 ficou responsável pela dramaturgia do espetáculo João do Vale, O Musical, a convite do Teatro Arthur Azevedo. No mesmo ano publicou a peça “Die Brücke” pela Editora Viseu.

MÁRIO RODRIGUES - Nasceu em Garanhuns, Pernambuco em 1977. É professor de literatura, redação e português. Mantém o blog de críticas literárias Na estante do Mário (www.mariorodrigues.com.br). Seu livro “Receita para se fazer um monstro”, publicado pela Editora Record venceu o Prêmio Sesc de Literatura 2016 na categoria Contos e foi finalista do Prêmio Jabuti 2017. Em 2018, lança “A cobrança” (Record).

ISIS ROST – Natural de Porto Alegre-RS, radicada há tempos em São Luís-MA. Formada em Ciências Sociais pela UFMA, publicou o livro “O Risco do Berro – Torquato Neto, morte e loucura”. Atualmente desenvolve uma pesquisa sobre a Revista Navelouca, organizada por Torquato Neto e Waly Salomão, marco cultural dos anos de chumbo da ditadura.

CLARISSA CARRAMILO - Escritora, graduada em Comunicação Social - Jornalismo (UFMA) e mestre em Ciências Sociais (UFMA). Nasceu em São Luís (MA), no dia 04 de março de 1989. Trabalhou como redatora do site G1 Maranhão e foi assessora de imprensa na Sedihpop. Em 2017, foi selecionada pelo Edital Fapema de Apoio à Publicação de Obras Literárias, por meio do qual publicou o seu primeiro livro Cidade Espanto (2018) pela Editora Oito e Meio. Atualmente, mora em Manaus (AM), onde trabalha em um novo romance.

ELIZEU CARDOSO - Natural de Pinheiro-MA (1975), Elizeu Cardoso é escritor, compositor, documentarista e Professor de Geografia. Sua vasta carreira na música já foi reconhecida com prêmios em festivais, entre eles o Festival de Música de Pinheiro (1992), Festival João do Vale de Música Popular (2008) e Fesmap - Canta meu Nordeste (2012), já tendo inclusive composições suas gravadas pela banda The Lions e pelo Boi Pirilampo e sido indicado ao Prêmio Rádio Universidade FM por seu disco “Todos os Cantos”, lançado em 2003. Em 2011, lançou o documentário “Abraão Cardozo: uma vida em Hai-Kai” sobre o poeta e intelectual pinheirense Abraão Cardozo, que já foi considerado o maior orador estudantil do país. Na Literatura, destaca-se pelo realismo mágico de sua obra, formada pelos livros “Dias Amarelos” (2013), “A Dança dos Ventos” (2016) e “Mar de Areias” (2018). É membro da Academia Pinheirense de Letras, Artes e Ciências- APLAC desde 2014, onde ocupa a cadeira de n. 15, cujo patrono é seu tio Abraão Cardozo, e ocupada primeiramente por seu pai, Napoleão Cardoso. Em 2016, alguns dos seus contos foram reunidos no espetáculo “Miúdos Contos Para Gente Graúda” sob a direção de Lívia Lima e Rosa Ewerton, na 10ª Feira do Livro de São Luís.

 

Texto: Talita Guimarães